20 de fev de 2013

Novamente: De quem é a culpa?



Assistindo ao jornal da TV Verdes Mares de 21 de maio de 2011, vi uma NUTRICIONISTA usando amplamente o vício de linguagem que tomou conta do nosso país. O uso indiscriminado do gerúndio. Como se não bastassem as atendentes de telemarketing.

A nutricionista falava o tempo todo mais ou menos assim:
- a cenoura vai “estar levando” isso ou aquilo...
- fruta tal vai “estar dando” forças...

E por ai, a reportagem inteira. Será que virou elegante, isso? Pois vi recentemente uma médica dizer: Olha mamãe, você vai estar dando o remédio três vezes ao dia. E mais um monte de instruções usando a mesma linguagem!

Não sei onde vai parar, ou se vai parar, mas sei que começou com um produto importado lançado no Brasil, traduzido ao pé da letra nas redes de telemarketing.

Pesquisando, achei interessante e bem explicativo no Site: Brasil Escola


Esse vício de linguagem tem suas origens na língua inglesa. Seria uma tradução literal do emprego do verbo “going to”. Ex: “I am going to do something” (Estou indo fazer algo). No entanto, é preciso ressaltar que em alguns casos o uso do gerúndio é correto. A questão é que existe uma falsa impressão de que o gerúndio traz vantagens estilísticas sobre outros processos, o que não é verdade.

O gerúndio é corretamente usado quando transmite a idéia de movimento, progressão, duração, continuidade. Alguns casos em que o gerúndio é empregado corretamente:

- “Em virtude do atraso, estaremos recebendo o pagamento em conta corrente nos dias 08 e 09 de setembro”
- “O que você vai fazer durante o fim de semana? Vai estar viajando?”
- “Ele está fazendo a prova agora.”

***

Quero mesmo é aprender e não "desaprender" rsrsrsr

Nenhum comentário:

Postar um comentário