22 de jun de 2009

Um canto de solidão

Tela de Pino

Um canto de solidão

Dentro de mim há um canto de saudade
que teima em invadir meu coração.

Ainda que o mundo inteiro
esteja ao meu redor, ele está comigo.

Tento fingir que não o ouço
e o calar me assusta,
pois o que me sustentará se a saudade se for?

Insensato coração
que aceita a loucura dessa dor!

Sinto um grito que não ouço
quando meu corpo me pede paz
e ouço o canto do silêncio
que fala mais alto e teima em estar comigo
em forma de saudade.

Noites insones, medo, lembranças...
Essa é a angústia desesperada do meu ser:

- O abandono dos que se perdem
para nunca mais se encontrar.

Regina Helena

2 comentários:

  1. Menina!!! Estás arrazando, machucando corações com essa tua solidão, esse teu gosto para acorrentar a saudade.
    A dor, a solidão, a saudade, o amor, realmente, são ferramentas indispensáveis no ofício do poeta!
    E que linda poesia criaste!
    Beijos.

    ResponderExcluir