15 de abr de 2009

Ária ao violão

Tela: Delapoer downing


Que sonâmbula campânula

embala o íncola na ínsula

campanulando?


Cantagalo cantagálico

no áulico tez gaulesa

cantagalando.


Só, na sombra solitária

estrelinha latejante

é chama, é flor, e madruga

num rio que ri ou geme,

campanulando.


Sobre a memória madura

a cálida, a alva aurora

desce doce se incorpando,

campanulando.


Alphonsus de Guimaraens Filho

In Antologia Poética, 1963

Um comentário:

  1. Maravilhoso está seu blog Regina Helena, sempre me encanta vi passear em suas páginas!
    Parabéns!

    ResponderExcluir