23 de ago de 2012

ANTÓNIO CORREIA DE OLIVEIRA






Sino, coração da aldeia;
Coração, sino da gente;
um a sentir quando bate
outro a bater quando sente.

António Correia de Oliveira