11 de mai de 2012

Noturno



A noite desabou sobre mim
e, como um manto de tristeza e dor,
envolveu-me inteira, e inteira também,
minha vida desabou.

Quem dera já viesse o amanhecer,
o claro da manhã e o som dos pássaros.
E com ele a esperança de esquecer
a tristeza que na noite me invade.

Regina Helena

Nenhum comentário:

Postar um comentário