7 de jul de 2010

Seiva

Imagem formatada por Regina Helena

Seiva

Alma, doce toque do meu despertar
sou o vaso que recebe o perene vinho
que aquece e adormece minha ira.

Renasço nas límpidas águas
da vida procurando teus seios.

Atravessando eras na plena arte de estar.
Jovem.

êxtase feição de infinitos
horizontes exuberantes
dos instintos.

Serena sempre a dizer
verdades do sonhar,
doce alma festiva
do mais belo roseiral
silvestre.

Sabedoria de cortejar o espírito
boêmio impressionista,
fértil e veril.

Meus sentidos a te abraçar
intensamente, grande necessidade
de contemplar tua luz cristalina
a me purificar.



Nelson Aharon

Um comentário: