19 de fev de 2010

VÉUS

(Foto da poeta Patrícia Neme)


VÉUS

Eu me desvelo aos olhos do universo,
no descerrar da vida que me habita.
Nas entrelinhas, onde abrigo o verso,
nas reticências da rima bendita...

Eu me descubro ante as manhãs raiadas
no ventre ardente da noite escondida
entre as estrelas... Notas intocadas
por mãos profanas, de paixões sem brida.

Eu me revelo aos mares e montanhas,
quando me entrego à sua eternidade;
e me semeio nas suas entranhas,
na plenitude da minha verdade.

Só guardo a face d'alma à tua mirada...
Não mais mereces ver-me desnudada!

- Patricia Neme -


obs.: Soneto quentinho, saido do forno agora. rsrsrsrs

Seja bem vindo! Volte sempre e,
por favor, deixe um comentário.

2 comentários:

  1. Lindo, lindíssimo!
    Que sensibilidade, que perfeição, que alma bendita tem essa poetisa!
    Amei!
    A estampa, tão linda, tão faceita, deixa vazar toda a ternura que lhe toma a alma e cativa o leitor.
    É, também, um poema pronto, passeando no vergel do TOCANTINS que, por certo, honra-se em possuir tão sensível poeta.
    Parabéns!
    Obrigada pela partilha!

    ResponderExcluir