24 de abr de 2009

Cecília Meireles - Epigrama 2

Epigrama número 2

És precária e veloz, Felicidade.
Custas a vir, e, quando vens, não te demoras.
Foste tu que ensinaste aos homens que havia tempo,
e, para te medir, se inventaram as horas.

Felicidade, és coisa estranha e dolorosa.
Fizeste para sempre a vida ficar triste:
porque um dia se vê que as horas todas passam,
e um tempo, despovoado e profundo, persiste.

Cecília Meireles
Viagem, 1938

Cecília Meireles - Epigrama 1


Epigrama número 1

Pousa sobre esses espetáculos infatigáveis
uma sonora ou silenciosa canção:
flor do espírito, desinteressada e efêmera,

Por ela, os homens te conhecerão:
por ela, os tempos versáteis saberão
que o mundo ficou mais belo, ainda que inutilmente,
quando por ele andou teu coração.

Cecília Meireles
Viagem, 1938

Epigrama - Definição

Tumulo de Virgílio Távora, Senador, ex governador do Ceará. De Rafael Bezerra, blog Rip Brasil.

Epigrama é uma composição poética breve que expressa um único pensamento principal, festivo ou satírico, de forma engenhosa.

O Epigrama foi criado na Grécia Clássica e, como o significado do termo indica, era uma inscrição que se punha sobre um objeto - uma estátua ou uma tumba, por exemplo.

Os epigramas sobre as tumbas formaram uma classe à parte e se denominaram Epitáfios ou Epicédios, designando um poema engenhoso que tinha a característica de ser breve, para poder passar por rótulo ou inscrição.

A maioria dos epigramas gregos pode ser encontrada na Antologia Palatina. Além dos gregos, destacaram-se na composição de epigramas os romanos Catulo e Marco Valerio Marcial.

23 de abr de 2009

Poder Paralelo


A máfia e a espontaneidade do povo italiano fazem parte da trama de Poder Paralelo, a mais nova produção da Rede Record. Com texto de Lauro César Muniz e direção geral de Ignácio Coqueiro, a novela apresenta elenco com mais de 60 atores.

As primeiras cenas foram gravadas nas cidades de Palermo e Tonnara di Scopello - situadas na região da Sicília, na Itália. Mais de 100 pessoas, entre profissionais da Record e contratados na Itália, participaram das gravações. Uma das sequências mais impactantes foi a explosão de um carro que mata a família de Tony Castellamare (Gabriel Braga Nunes), em uma praça no centro de Palermo.

Assim como a capital paulista, a cidade de Serra Negra - no interior de São Paulo -, também serve de cenário para a novela.

A trama

A história começa em Palermo. Um atentado é preparado e um homem será assassinado. A ordem parte do Brasil, mas a vítima está na Itália. É Tony Castellamare (Gabriel Braga Nunes), um brasileiro de origem italiana que é suspeito de ligações com a máfia. Mas o crime é interceptado por Téo (Tuca Andrada), delegado da Polícia Federal Brasileira e chefe da operação que investiga uma poderosa conexão do narcotráfico. Numa ação rápida, o delegado impede que Tony morra com a explosão de uma bomba em seu carro, mas não consegue evitar a pior tragédia. A Condessa Marina di Salaparuta (Daniela Galli), a mulher de Tony, e suas filhas gêmeas morrem numa terrível explosão criminosa. Tony não consegue chegar a tempo de impedir que a mulher entre no carro e vê a familia morrer.

Atingido pela tristeza, Tony descobre que a ordem para matá-lo partiu do Brasil e decide se vingar. Ele vem para o país acompanhado do filho Eduardo (João Vitor Silva) e se hospeda na casa dos pais, os italianos Don Caló (Gracindo Jr) e Mamma Freda (Lu Grimaldi). Tony é misterioso e não deixa claro a ninguém a sua relação com a máfia e, a princípio, nem ele sabe o motivo pelo qual querem matá-lo.

É exatamente essa a questão que mais instiga o delegado Téo, que quer desbaratar a rede de narcotráfico que liga Brasil e Itália. Téo sabe que Tony pode ser o elo que precisa para chegar até o misterioso Capo, ou seja, líder de toda essa organização.

O delegado conta com um moderno aparato policial e tem em sua equipe profissionais extremamente qualificados, como seu principal parceiro Renato (Bruno Padilha) e Marília (Maria Ribeiro), especialista em tecnologia e capaz de invadir qualquer sistema operacional.

Por outro lado, os envolvidos com a máfia não querem que a polícia se aproxime de seus negócios. Iago (Antonio Abujamra), porta-voz do Capo, cuida disso comandando seus contraventores no Brasil, com a ajuda de Lucas (Luiz Guilherme) e Tucci (Roberto Birindelli), e na Itália, por meio de Brasiliano (Márcio Rosário). Iago faz o que pode para atrapalhar as investigações de Téo.

Romance

A vida de Tony não está envolta apenas em crimes e tragédias. Pouco antes da morte de sua família, ele conhece a brasileira Lígia (Miriam Freeland). A jornalista inicialmente se aproxima dele para conseguir um furo jornalístico para a revista Grafos do Brasil, mas acaba se apaixonando.

Lígia passa a viver então uma crise ética por ter se apaixonado por um homem que supostamente é um criminoso. Ela vê o sofrimento de Tony ao perder a família e se sensibiliza com isso. Ao mesmo tempo, é cobrada ostensivamente por seu editor-chefe, Baruel (Carlos Bonow), para conseguir uma matéria bombástica. Tony, por sua vez, fica fascinado por Lígia, mas também se irrita ao saber que ela é jornalista e quer fazer uma matéria sobre a vida dele.

Amor X Traição

Maura (Adriana Garambone) dedica sua vida a cuidar do marido e dos filhos, Luísa (Fernanda Nobre), Pedro (Guilherme Boury) e Junior (Rodrigo Simas). Casou-se cedo com Bruno Vilar (Marcelo Serrado) e deixou de lado o desejo de ser atriz, por insistência do próprio marido. Ele, por sua vez, enriqueceu ao se casar com Maura e passar a trabalhar nos negócios da família. Apesar de não ter realizado seu maior sonho, Maura é muito feliz.

O que ela não imagina é que o marido há anos mantém um caso extraconjugal com a famosa atriz Fernanda Lira (Paloma Duarte). Pior: ele promete à amante construir um teatro para ela. Certamente, o mundo de Maura viria abaixo se ela descobrisse a traição, mas Bruno se esforça para iludir a mulher de que ele a ama.

Fernanda é famosa no Brasil por sua atuação em filmes, programas de televisão e peças de teatro. Ela se sente atraída pelo comportamento imprevisível de Bruno, mas está cansada de ser "a outra". Rudi (Petrônio Gontijo) e, posteriormente, Tony (Gabriel Braga Nunes) podem atrapalhar o romance de Bruno e Fernanda.

Casos "proibidos"

Pedro (Guilherme Boury) é um problema para Bruno e Maura. Não quer de forma alguma seguir os passos do pai assumindo as empresas da família. Apaixona-se por Nina (Patrícia França), uma mulher mais madura do que ele. Nina teve um passado sofrido ao lado do ex-marido, que chegou, inclusive a agredi-la. Por isso, cede fácil aos carinhos de Pedro, mas entra em crise, porque ele é filho de seu patrão. Nina teme que Bruno descubra o romance e a demita.

Luísa (Fernanda Nobre) não fica atrás do irmão Pedro. Ela é noiva de André (André Bankoff), considerado pelos pais o genro perfeito, mas se apaixona pelo fotógrafo Dog (Miguel Thirré). Luísa se encanta pelo espírito aventureiro dele, só que Bruno faz o possível para separá-los.

Os italianos

Don Caló (Gracindo Jr) veio morar em São Paulo ainda jovem. Caló fugiu de uma briga entre famílias mafiosas. Viveu na Itália nos áureos tempos da máfia e tem certa nostalgia dessa época, apesar de supostamente estar bem afastado de ações mafiosas. Caló tem vários negócios, entre eles o Hotel Diana, em sociedade com Bruno Vilar.

Casou-se com Freda, com quem teve três filhos: Tony, Rudi (Petrônio Gontijo) e Gigi (Karen Junqueira). Mamma Freda, como é carinhosamente chamada por todos, é dedicada aos filhos e tem muita influência nos bastidores da família. Rudi é o filho que traz mais problemas aos pais, por conta de seu envolvimento com o tráfico de drogas.

O Sobrado

Tudo é repartido no sobrado de Lurdes (Manoelita Lustosa), onde também moram Mimi (Júlia Sabugosa), Wagner (Lucio Fernandes), João (Leandro Léo) e Vitor (Bemvindo Sequera). Todos trabalham duro, têm pouco dinheiro, mas vivem intensamente. Sempre que podem fazem um churrasquinho ou uma festinha. Se bem que, vez por outra, entram em conflito e Vitor tem que usar suas habilidades diplomáticas para conter os ânimos.

No início da história, Lurdes enterra seu marido. Só que em vez de chorar, comemora, já que perdeu "um traste beberrão", como ela diz.

Texto: Rede Record/Imagem: Rede Record



EVIDÊNCIA
(Genaura Tormin)

No silêncio
Lamentos tardios
E escusas do que se foi.
O cérebro confunde
Os desejos esquecidos.

O tempo está parado,
O vento não encanta,
Como outrora,
Porque as flores
Já não exalam perfumes.

Não há espera...
Ela não é necessária.
Os dias são normais.
O querer se foi
Com o entardecer
Numa revoada de pássaros.

Mesmo assim,
Eu sinto frio.
Tudo está tão só!
No silêncio,
Respostas de perguntas
Feitas ao nada.