19 de set de 2009

A VOZ DAS ÁRVORES


A VOZ DAS ÁRVORES

Acordo à noite assustado.
Ouço lá fora um lamento...
Quem geme tão tarde? O vento?
Não. É um canto prolongado,
- Hino imenso a envolver toda a montanha;
São em música estranha
Jamais ouvida,
Em surdina cantando,
Como um bando
De vozes numa igreja:
Margarida, Margarida!

Alberto de Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário