19 de set de 2009

Cigana


Cigana

Sem estação que te prenda
ou teto que te escravize,
fazes da estrada a tua vida.

Tens tudo de que precisas:
- O céu estrelado por teto,
tua religião - a liberdade,
uma fogueira pra te aquecer,
e para te alegrar, violinos e canções!

E se for preciso, cantas um fado,
fazendo do coração um fogaréu,
enquanto tua alma toca castanholas...

És livre como a águia...
E por trás do teu sorriso imenso,
escondes o feitiço do teu olhar.

Senhora do teu destino!

No intenso vermelho de tuas vestes,
cultuas a tragédia da sedução e da paixão.

És cigana... De alma cigana...
Ainda que por um amor,
o teu corpo viva na cidade...

Regina Helena
Para minha amiga, Suely Saad.

Nenhum comentário:

Postar um comentário