23 de mai de 2009

ONDA



Conheci-o no Arpoador:
Garoto versátil, gostoso,
ladrão, desencaminhador
de sonhos, ninfas e rapsodos.
Contou-me feitos e mentiras
indeslindáveis por demais.
Fui todo ouvidos, tatos, vistas
e pedras, sóis, desejos, mares.
E nos chamamos de bacanas
e prometemo-nos a vida:
comprei-lhe um picolé de manga
e deu-me ele um beijo de língua
e mergulhei ali à flor
da onda, bêbado de amor.

Antonio Cicero Correa Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário